Fundação Vingt-un Rosado completa 22 anos nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira 6 de abril a Fundação Vingt-un Rosado completa 22 anos de existência. Nascida em 1995, veio para amparar a Coleção Mossoroense que se desligava da então ESAM e da Fundação Guimarães Duque com a saída também do seu editor, o professor Vingt-un Rosado.

A ideia inicial partiu da professora América Fernandes Rosado Maia, esposa de Vingt-un e de João Batista Cascudo. A eles juntou-se mais um grupo de sonhadores: Elder Heronildes, Wilson Bezerra de Moura, Cid Augusto, Júlio Rosado, Frederico Rosado, Raimundo Soares de Brito, Marcos Antonio Filgueira, Nelson Lucas Pires, Paulo Gastão, Sebastião Vasconcelos e o filho do futuro patrono da Fundação, o doutor Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, este, eleito diretor-executivo da recente instituição. Contrariando todas as intempéries por quais passam as instituições sem fins lucrativos e, principalmente, aquelas ligadas às coisas da cultura.

Hoje, ao completar 22 anos, a  Fundação Vingt-un Rosado, luta para superar as dificuldades financeiras. O desafio de ter um local para armazenar o acervo é enorme, hoje, parte dele está na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, enquanto que outra parte fica no Museu Lauro da Escóssia. O diretor da Fundação Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, disse que não tem sido fácil esta jornada, a grandiosidade do acervo da Coleção Mossoroense é tamanho, que ainda não foi possível dá-lo o devido acolhimento. São milhares de livros, máquinas, homenagens, diplomas, enfim… um universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *