Posse do novo imortal da ANL

Posse do novo imortal da ANL

        Clauder-Arcanjo

      Próximo dia 2 de março, às 19h30, o escritor cearense Clauder Arcanjo tomará posse na Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANL). Ele ocupará a cadeira de número 12, que tem como patrono o escritor Amaro Cavalcanti.

        Nesta mesma cadeira, o primeiro ocupante foi Juvenal Lamartine, sucedido por Veríssimo de Melo, Oswaldo Lamartine de Faria e Paulo Bezerra.

        Clauder Arcanjo foi eleito para a ANL no dia 14 de dezembro do ano passado, onde obteve 19 votos, contra 15, de Antônio Fernando Bezerra, seu concorrente.

        Ele que é professor e engenheiro, destaca-se na literatura como, cronista, resenhista literário e colaborador de sites, revistas e jornais diversos. Clauder é também editor da Editora Sarau das Letras, localizada em Mossoró, juntamente com o escritor David Leite.

     Apesar de ser cearense da cidade de Santana do Acaraú, o novo imortal tem Mossoró como seu principal endereço há muitos anos e tem sempre se destacado na nossa literatura.

        A sessão solene acontecerá na sede da entidade, em Natal, à Rua Mipibu, 443, bairro de Petrópolis.

        Todos estão convidados para prestigiar este grande momento.

Vingt-un Rosado e o Hospital do Sal

Vingt-un Rosado e o Hospital do Sal

b1f461_7926c46a30ae42068674b4a41143b460_mv2

        O professor Vingt-un não se destacou apenas na educação e cultura da nossa cidade. Quando ele era presidente do Instituto Brasileiro do Sal – IBS, inaugurou, em Mossoró, o Hospital Francisco Menescal.

        Conhecido até hoje como Hospital do Sal ou dos Salineiros, a exatos 54 anos ele foi inaugurado para servir principalmente, aos trabalhadores em salinas e aos seus dependentes.

     Durante a inauguração no dia 17 de fevereiro de 1964, Vingt-un Rosado orgulhosamente falou: “Seja esta casa templo de servir ao povo. Os que receberam o galardão de serem os seus operários, médicos, enfermeiras, servidores de todas as categorias, saibam dar-lhe em dobro, idealismo, espírito de cooperação, de sacrifício e humildade cristã. Aqui se plantou a semente de uma Faculdade de Medicina, outra célula da futura grande Universidade de Mossoró, que haverá de aproveitar a experiência da gente mossoroense em sua caminhada de 200 anos, através de vicissitudes, lutas e vitórias. Um Centro de Estudos já funciona neste hospital, como sua cúpula, como sua verdadeira Faculdade de Filosofia. O povo brasileiro construiu este hospital para servir principalmente aos trabalhadores em salinas e seus dependentes. Homenagem que foi prestada à brava gente que em onze províncias elabora com músculos e alma uma de suas riquezas: a economia salineira”.

       Hoje o hospital o leva o nome de Centro Clínico Vingt-un Rosado em homenagem ao seu criador, que sempre soube servir a população mossoroense, seja na educação, na cultura ou na saúde.

 

Intelectuais no carnaval

Intelectuais no carnaval

 

27657778_1704110059647479_1136166594343589574_n

     A Associação dos Escritores de Mossoró (ASCRIM) está organizando um grupo carnavalesco denominado “Os Intelectuais”, visando a participação do carnaval 2018 em Mossoró.

     Ainda não foi definido em quais troças o grupo participará, mas é certo marcará presença em troça que acontecerá na quarta-feira de cinzas (próximo dia  14.02.2018).

     O valor do kit está sendo comercializado ao preço de R$ 40,00. O pagamento poderá ser feito em dinheiro ou creditado na agência do Banco do Brasil 3526-2, conta corrente 28877-2.

  Poderão Participar do bloco “Os Intelectuais”, apenas ESCRITORES MOSSOROENSES, que sejam associados regulares inscritos da ASCRIM e estejam quites com suas obrigações sociais e financeiras.

     Segundo o presidente da ASCRIM, Silva Neto, por motivos de ordem superior, nesta fase de estruturação do bloco, foi “considerado de bom alvitre ponderar em quais eventos o grupo poderá participar, principalmente a que melhor se coadunem com os objetivos sociais da ASCRIM”.

     Foi definido o agendamento de atividades no dia 14.02.2018.  Das 08h às 10h, visita aos órgãos de comunicação e ao Sindicato dos Professores de Mossoró, para divulgação oficial, junto a coordenação da troça “O Piado da Coruja”, da criação do bloco “Os Intelectuais” e demonstração dos seus objetivos sociais.

     Na parte da tarde, a partir das 16h – visita ao local de concentração da troça “O Piado da Coruja” (organizada pelo sindicato dos professores de Mossoró) com possibilidade de acompanhar o cortejo.

     Para maiores informações serão prestadas oportunamente, liguem para (84) 99150-8664.

 

27750257_1704110399647445_8994653569885698371_n

27749780_1704110972980721_6833307886582286681_n

 

27752453_1704110826314069_618590285639133359_n

Parabéns ao aniversariante padre Sátiro Cavalcanti

Parabéns ao aniversariante padre Sátiro Cavalcanti

     396710_174039846073438_1664555279_nQuem está de idade nova no dia de hoje é o querido padre Sátiro Cavalcanti Dantas.

     A sua importância na sociedade mossoroense é unanimidade. Apesar de ser pauferrense de nascimento, sua história se confunde com a história de Mossoró.

     Aqui em Mossoró, Sátiro Cavalcanti atuou em várias frentes e, apesar de ser um grande religioso católico, foi na educação que mais se destacou, atuando como diretor de escola (por mais de cinco décadas), professor e reitor de universidade (sendo ele idealizador desta mesma universidade), diretor de faculdade e presidente do Conselho Estadual de Educação do Rio Grande do Norte.

     Como autor, ele tem várias publicações pela Fundação Vingt-un Rosado / Coleção Mossoroense (e outras editoras também), além de homenagens sobre sua vida de autores diversos.

     Quem quiser conhecer mais a história do padre-educador, poderá encontrar no livro “Capela de São Vicente, fé e bravura – De Vicente ao padre Sátiro”, do autor Eriberto Monteiro, volume 1573, publicado com o selo da Coleção Mossoroense. Ou ainda demais fontes no próprio acervo da Coleção Mossoroense.

     Que Deus continue abençoando a vida de Sátiro que, não é somente Padre, mas também Educador, Socialista, Escritor, Empreendedor, Incentivador e muito mais…

 

Sindicalista Gilberto Diógenes na Coleção Mossoroense

Sindicalista Gilberto Diógenes na Coleção Mossoroense

        O sindicalista e atual vice-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDSERPUM), Gilberto Diógenes, esteve visitando a sede da Fundação Vingt-un Rosado localizado no terceiro andar da Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte. Gilberto está em trabalho de pesquisa sobre a esquerda no RN, especialmente na cidade de Mossoró.

        A Fundação tem inúmeros títulos sobre a temática e, como está em processo de organização, pretende atendê-lo o mais breve possível.
26638246_1974690412795114_956865443_n26638182_1974690396128449_1035721421_n

A Coleção Mossoroense em 2018

A Coleção Mossoroense em 2018

FUN VIG

     A Fundação Vingt-un Rosado, após passar por diversas dificuldades durante estes últimos anos, está elaborando planos de enfrentamento as complicações da sua existência.

    Em 2018 ideias, projetos e ações estarão sendo colocados em práticas para que a Fundação mantenha a Coleção Mossoroense em plena atividade.  A sociedade será chamada a colaborar da melhor forma possível. Aguardem…

Coleção Mossoroense continuará o seu trabalho internamente em janeiro

Coleção Mossoroense continuará o seu trabalho internamente em janeiro

25463687_1272138196263592_1362612871_n

A Fundação Vingt-un Rosado por muito tempo tem sido instrumento de pesquisa para vários estudantes, dos mais diversos níveis de estudos. Exemplo disso é a professora e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Paula Fernandes.

Paula é pesquisadora assídua e ressaltou a importância do trabalho que está sendo desenvolvido na sede da Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte. Para ela e demais pesquisadores que utilizam a Coleção Mossoroense como fonte inesgotável de conhecimento, a informação é que o trabalho de organização do acervo segue internamente durante o mês de janeiro. E para 2018, a Fundação trará novidades. Aguardem.

Fundação Vingt-un Rosado entrará em recesso no mês de janeiro

Fundação Vingt-un Rosado entrará em recesso no mês de janeiro

10013705_564129887037976_3300770527898295495_n

A Fundação Vingt-un Rosado, com sede na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, vem de público comunicar a todos os leitores em geral, que o atendimento no mês de janeiro estará suspenso devido período de recesso. Mas o serviço de organização não para. Continuaremos com uma equipe trabalhando para organização do nosso acervo. O retorno para atendimento na sede retorna dia 05/02/2018. Caso alguém tenha interesse em algum título ou para qualquer esclarecimentos, entrar em contato pelo número 98886 0520 ou pelo e-mail fvrcm@uol.com.br

|

Companheira de Vingt-un faleceu na mesma data do falecimento dele

Companheira de Vingt-un faleceu na mesma data do falecimento dele

AMERICA

Companheira até depois da morte, a professora América Fernandes Rosado Maia, esposa de Vingt-un Rosado faleceu 4 anos após a morte do seu amigo e companheiro de tantas horas (02/12/2009). O próprio professor Vingt-un apaixonado, costumava dizer que “descobriu a América em Minas Gerais” fazendo referência a sua esposa, dona América Rosado, sua companheira por 58 anos.

Do enlace matrimonial acontecido dia 25 de setembro de 1947, em São Paulo, nasceram os filhos: Maria Lúcia Fernandes Rosado do Amaral, Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, Lúcia Helena Rosado da Escóssia, Isaura Ester Fernandes Rosado Rolim e Leila Rosado de Medeiros.

Depois da perda de Vingt-un, América passou por momentos de tristeza imensa. Ela mesma contava que o segredo da sua alegria de tão longa convivência estava no tratamento carinhoso, afetivo e ao amor que existia entre ela e Vingt-un. Ainda informa que se sentia completa com ele, pois tinham ideais e valores semelhantes.

Uma das provas do sacrifício mútuo, um dos sonhos do casal era conhecer a Europa e realizar algumas viagens. Mas dona América informou que “não foi possível realizar em face da dedicação máxima de Vingt-un a sua obra cultural”. Dona América ainda completava dizendo que, a luta de Vingt-un, também era a sua luta.

América Foi uma das idealizadoras da Fundação Vingt-un Rosado no dia 06 de abril de 1995, exatamente quando a Coleção passava por uma dificuldade imensa para manter-se.

Sua paixão, além das ações pelo marido, nas suas palavras quando dizia: “Se todos seguissem o exemplo de Vingt-un teríamos um mundo muito melhor, um mundo diferente”.

O mundo ficou mais vazio sem estas duas importantes personalidades culturais. Para alguns,coincidência,mas nos Exatos quatro anos depois da morte de Vingt-un, em 21 de dezembro de 2009, morria dona América Fernandes Rosado Maia. Foi como se tivesse escolhido o dia 21 de dezembro para a sua morte. Seu corpo foi sepultado em Mossoró, a terra que tanto amou.

 

 

Triste aniversário de morte de Vingt-un Rosado

Triste aniversário de morte de Vingt-un Rosado

vingt-un

Hoje está completando 12 anos que Mossoró perdeu Vingt-un Rosado.  “Um cidadão mossoroense, reconhecido no Brasil, e conhecido em várias partes do mundo”, assim dizia Dix-sept Rosado Sobrinho, seu filho, hoje responsável pela Fundação que homenageia seu pai.

Vingt-un Rosado atuou em diversas frentes de trabalho, sempre com maestria, mas foi como criador da Coleção Mossoroense, a maior coleção de livros do País, com mais de quatro mil títulos publicados, que ele teve maior destaque.

Nesta mesma Coleção, ele publicou diversos títulos, sendo inclusive, seu primeiro livro publicado, uma homenagem a sua cidade, Mossoró.

Ele morreu na tarde do dia 21 de dezembro de 2005, vítima de parada cardíaca. Ele mesmo foi submetido a quatro pontes de safena, mas nada que pudesse solucionar a sua cardiopatia, que era crônica. O historiador faleceu com 85 anos, após sucessivas paradas cardíacas e um quadro cardíaco instável.

Durante o período que esteve no hospital com problemas cardíacos, o seu coração não esqueceu a sua paixão: trabalhou até os últimos momentos de consciência. E até no internamento ainda se preocupava com a Fundação Vingt-un Rosado. Do hospital, Vingt-un dedicou-se aos projetos da Fundação, recebendo assessores e auxiliares nos poucos momentos diários de visitas.

O corpo de Vingt-un foi trazido de Natal para Mossoró e foi velado no prédio central da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), antiga Escola Superior de Agricultura de Mossoró (ESAM), instituição que foi fundada por ele.

O mais recente livro publicado pela Coleção Mossoroense foi o volume 1671. O livro é uma homenagem ao professor Vingt-un Rosado feita pelo historiador Geraldo Maia do Nascimento. “O Criador do País de Mossoró – Uma biografia de Vingt-un Rosado”, foi o título da obra. O lançamento aconteceu no dia 25 de setembro (dia do natalício do homenageado) deste ano.

A realidade é que cultura sem ele está caminhando sem brilho. Ele deixou Mossoró órfã de sua sabedoria, além de projetos na área cultural. Sem a presença dele, o esforço está sendo imenso para dar continuidade a Fundação que leva o seu nome. Tudo ficou mais difícil. Porém, apesar de todos os problemas,  a Coleção Mossoroense está sendo reorganizada e será catalogado para melhor atender a sociedade. Haverá também um trabalho de conservação da biblioteca particular dele e a criação de um memorial em sua homenagem.   Atualmente, a sede da Fundação Vingt-un Rosado está localizada na Biblioteca Pública Municipal Ney Pontes Duarte, local que tem influência de Vingt-un da sua criação no ano de 1948.

Sua partida provocou muitas incertezas no cenário intelectual do Rio Grande do Norte. A bem da verdade, Mossoró perdeu o seu filho ilustre. E esta perda, até hoje, é irreparável.

Antes de falecer, Vingt-un publicou uma plaquete (série B – volume 2706) intitulada “Normas Acadêmicas para o velório e sepultamento de Vingt-un”. Trechos do livreto informa o desejo dele: “…O sepultamento será no cemitério novo e não haverá túmulo. Serei coberto pela terra do solo sagrado de Mossoró. Neste solo serão plantadas cactáceas e bromeliáceas, tal como fiz quando da fundação da ESAM na antiga fazenda de Fuão Pinto…” E assim foi feito…