Nota de Pesar

Nota de Pesar

“A Fundação Vingt-un Rosado vem expressar a tristeza dos que a fazem pelo recente passamento do Dr. Milton Marques de Medeiros. Personalidade das mais brilhantes na paisagem humana do Rio Grande do Norte. Destacado Educador, médico, empresário, jornalista, escritor. Grande amigo das artes e da cultura.

Mantinha uma amizade profunda com nosso patrono Vingt-un Rosado e tinha deste, uma grande admiração.
Seu legado nas variadas áreas a que se dedicou, mormente a educacional superior, empresarial e cultural atravessará os tempos”.

Mossoró, 22 de abril de 2017.

A Direçao

Fundação Vingt-un Rosado informa sobre atual situação da Coleção Mossoroense

Fundação Vingt-un Rosado informa sobre atual situação da Coleção Mossoroense

Com vinte e dois anos de existência, completados no último dia 6 de abril, a Fundação Vingt-un Rosado, mantenedora da Coleção Mossoroense, vem à público, através de seu presidente, Dix-sept Rosado Sobrinho, esclarecer alguns pontos inerentes a Coleção Mossoroense.

Hoje, no primeiro andar do Museu Municipal Lauro da Escóssia, funcionam o escritório da Fundação Vingt-un Rosado, o memorial sobre Vingt-un Rosado e a biblioteca particular de Vingt-un Rosado, organizada e catalogada.

Ainda no Museu Municipal, sendo no andar térreo, estão algumas peças da gráfica da Fundação Vingt-un Rosado, uma das peças, a guilhotina, que pesa toneladas, está do lado de fora aguardando uma forma de ser colocada para dentro do Museu. Todas as peças serão organizadas em uma mostra de parte da história da Coleção Mossoroense. O site da Fundação Vingt-un Rosado foi reativado e pode ser acessado no endereço www.colecaomossoroense.org.br. Nele encontra-se notícias oficiais, um grande acervo a ser consultado sem custos entre outras informações.

Dix-sept Rosado Sobrinho disse ainda que grande parte do acervo da Fundação Vingt-un Rosado e Coleção Mossoroense, foi transportado sob seu consentimento e custos, com ajuda de um caminhão cedido pela Prefeitura Municipal de Mossoró, para a Bibioteca Municipal Ney Pontes Duarte.

O presidente da Fundação Vingt-un Rosado disse ainda que, por iniciativa muito louvável dos que fazem a Biblioteca Municipal, iniciou-se a grande tarefa de organizar esta parte da Coleção Mossoroense. O intuito é ficar com 5 (cinco) volumes de cada obra, doar o restante a instituições interessadas e atualizar o Catálogo Geral da Coleção Mossoroense.

Na nota o presidente diz que não foi autorizado a ninguém falar em nome da Fundação Vingt-un Rosado nem da Coleção Mossoroense, e que só ele fala oficialmente pelas entidades. E finaliza dizendo que apesar da torcida contrária de alguns, a Fundação Vingt-un Rosado e a Coleção Mossoroense continuam VIVAS!

 

Fundação Vingt-un Rosado completa 22 anos nesta quinta-feira

Fundação Vingt-un Rosado completa 22 anos nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira 6 de abril a Fundação Vingt-un Rosado completa 22 anos de existência. Nascida em 1995, veio para amparar a Coleção Mossoroense que se desligava da então ESAM e da Fundação Guimarães Duque com a saída também do seu editor, o professor Vingt-un Rosado.

A ideia inicial partiu da professora América Fernandes Rosado Maia, esposa de Vingt-un e de João Batista Cascudo. A eles juntou-se mais um grupo de sonhadores: Elder Heronildes, Wilson Bezerra de Moura, Cid Augusto, Júlio Rosado, Frederico Rosado, Raimundo Soares de Brito, Marcos Antonio Filgueira, Nelson Lucas Pires, Paulo Gastão, Sebastião Vasconcelos e o filho do futuro patrono da Fundação, o doutor Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, este, eleito diretor-executivo da recente instituição. Contrariando todas as intempéries por quais passam as instituições sem fins lucrativos e, principalmente, aquelas ligadas às coisas da cultura.

Hoje, ao completar 22 anos, a  Fundação Vingt-un Rosado, luta para superar as dificuldades financeiras. O desafio de ter um local para armazenar o acervo é enorme, hoje, parte dele está na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, enquanto que outra parte fica no Museu Lauro da Escóssia. O diretor da Fundação Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, disse que não tem sido fácil esta jornada, a grandiosidade do acervo da Coleção Mossoroense é tamanho, que ainda não foi possível dá-lo o devido acolhimento. São milhares de livros, máquinas, homenagens, diplomas, enfim… um universo.

Diplomata e escritor João Almino é eleito por unanimidade para a ABL

Diplomata e escritor João Almino é eleito por unanimidade para a ABL

O diplomata e escritor João Almino é o novo ocupante da cadeira 22 da Academia Brasileira de Letras (ABL), que estava vaga desde agosto do ano passado com o falecimento do médico e acadêmico Ivo Pitanguy.

Almino foi eleito por unanimidade na tarde de quarta-feira (8), com os votos de 23 acadêmicos presentes e de dez, por cartas, na disputa com outros cinco postulantes à cadeira, que teve como fundador Medeiros e Albuquerque e patrono José Bonifácio.

Nascido em 1950 em Mossoró (RN), o embaixador João Almino é autor de seis romances, bem recebidos pela crítica e com histórias ambientadas em Brasília. Entre eles, As Cinco Estações do Amor (2001), vencedor do prêmio Casa de Las Americas de 2003, e Cidade Livre (2010), finalista dos prêmios Jabuti e Portugal-Telecom. Escreveu ainda ensaios literários e parte de sua obra de ficção está traduzida para o inglês, francês, espanhol, italiano e outras línguas.

Mestre em sociologia pela Universidade de Brasília (UnB) , João Almino é também autor de ensaios de filosofia política e de história. Os livros Os Democratas Autoritários (1980), Era uma Vez uma Constituinte (1985), A Idade do Presente (1985), O Segredo e a Informação (1986) e Naturezas Mortas (2004) são considerados referência para estudiosos da democracia e do autoritarismo.

O embaixador João Almino foi diretor do Instituto Rio Branco, a escola de formação dos diplomatas brasileiros. Além da UnB, lecionou na Universidade Nacional Autônoma do México (Unam) e nas universidades de Berkeley, Stanford e Chicago, nos Estados Unidos, e defendeu tese de doutorado em História Comparada das Civilizações Contemporâneas em 1980 pela Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, de Paris, sob a direção do filósofo Claude Lefort.

Livro será lançado durante encontro das Américas

Livro será lançado durante encontro das Américas

O livro II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares – Coletânea Literária é organizado pela Rede Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras, que possui o objetivo da promoção e divulgação da Cultura Brasileira em todo o território nacional brasileiro e para leitores de línguas lusófonas em 26 países do mundo, nos cinco continentes, através do Jornal Sem Fronteiras, do Portal Sem Fronteiras, da Fanpage Rede Sem Fronteiras, da Mala Direta On-line Sem Fronteiras e do Programa de TV-Web Sem Fronteiras. E promovido com o apoio da UBE-RJ (União Brasileira dos Escritores) e pela Academia Norte-Riograndense de Letras (ANRL).

Como titulares principais da Equipe Organizadora teremos: Dyandreia Portugal, como Organizadora; Ceição Maciel, como Coordenadora e Juçara Valverde, como Idealizadora do evento.

A criação e lançamento do livro II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares – Coletânea Literária possui como objetivo geral a integração e o intercâmbio de escritores e poetas do Nordeste com todas as demais regiões brasileiras e países das Américas. E como objetivo específico, a fomentação do debate sobre temas culturais, estimulando a produção literária de já consagrados e novos autores.

É importante salientar que a obra será o legado e a representação concreta do evento cultural “II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares – Coletânea Literária”, idealizado, originalmente, pela UBE-RJ (União Brasileira de Escritores) e, nesta nova edição, com a organização de inúmeras entidades culturais do Rio Grande do Norte e o apoio da Academia Norte-Riograndense de Letras (ANRL) e UBE-RJ, sendo realizado de 23 a 26 de novembro de 2016, em Natal e Mossoró (RN), com ampla programação cultural, contendo solenidades acadêmicas, sarau, performances, exposição de artes, lançamentos literários, passeios turísticos, etc.

O livro II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares – Coletânea Literária será produzido na língua portuguesa.

Mossoró receberá Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares

Mossoró receberá Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares

ii_siea

Idealizado pela UBE-RJ e Organizado em conjunto com várias academias e entidades culturais do Rio Grande do Norte, nos dias 30 de novembro a 07 de dezembro as cidades de Natal-RN e Mossoró-RN sediarão o II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras Potiguares.

Na ocasião, serão realizados debates e palestras, programação histórico-cultural, com a participação de intelectuais, escritores e artistas potiguares, das demais regiões do Brasil e de países das Américas, bem como lançamentos de diversos livros, de produções individuais e coletivos, dentre eles, a Coletânea Literária II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e Cultura em terras potiguares e Antologia Literária Feminina Potiguar.

Em Natal, o evento será realizado na Academia Norte-Rio-Grandense de Letras-ANRL, Pinacoteca do Estado, entre outros e, em Mossoró, na TV a Cabo de Mossoró-TCM, na Faculdade Diocesano de Mossoró, na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte e no Museu do Sertão, dentre outros espaços culturais da cidade.

As inscrições serão feitas nos locais do evento, de forma gratuita, mas aceita-se a doação de um 1kg de alimento não perecível para doar às instituições de caridade locais. Os participantes receberão certificado de participação.

PROGRAMAÇÃO

 

Projeto que a Fundação Vingt-Un Rosado participa é destaque em revista da UERN

Projeto que a Fundação Vingt-Un Rosado participa é destaque em revista da UERN

Sonho de América

Manhã de agosto e a jovem Flávia Raquel, 19 anos, chega à Unidade Básica de Saúde Maria Neide, no bairro Costa e Silva, em Mossoró, com o pequeno  Nicolas Edson de apenas um mês no colo. De olhar esperto, aparentemente, ele é um bebê saudável, mas a mãe quer ter a certeza disso. E vai poder fazê-lo, assim como tantas outras famílias, graças ao projeto “Sonho de América”.

Foi pensando na prevenção que seu José Wellington e dona Francisca, que antes moravam no Sítio Trapiá, município de Assú, levaram a filha Ana Patrícia, de 3 anos, para fazer o acompanhamento das vacinas e checar a saúde da criança. “Graças a Deus, a gente tem essa assistência”.

Idealizado e executado há cinco anos pelo pediatra Dix-sept Rosado Sobrinho, da Faculdade de Ciências da Saúde (FACS), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), o projeto tem como propósito cuidar e estimular o hábito de leitura, levando saúde e cultura para crianças carentes do município de Mossoró.

“Entrei na Medicina com esse sonho de um dia poder atender gratuitamente em comunidades rurais onde o acesso à saúde pública é sempre mais complicado”, afirma Dr. Dix-sept, que resolveu batizar o projeto com o nome da mãe, América. Com formação acadêmica em  Serviço Social, na então Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte, hoje, UERN,  dona América Rosado se notabilizou nos meios culturais do Estado pela atuação intelectual ativa ao lado do marido, professor, historiador e escritor,  Vingt-un Rosado, e pela  participação em projetos sociais. E o “sonho de América” tem esse caráter, assegura Doutor Dix-Sept,  que juntou à sua vontade de servir à população e uma homenagem a mãe, dois anos depois da morte dela, recorrendo, ainda, à Coleção Mossoroense, editora criada pelo pai.

Tido como um dos mais importantes projetos de extensão na área da saúde, “Sonho de América” é o único atendimento do teste do olhinho gratuito no município e serve também como aula prática da disciplina de pediatria e estágio para os últimos períodos.

Participando pela primeira vez, a acadêmica do 8° período de Medicina, Samara Rodrigues, ficou impressionada com a presença dos pais com as crianças na UBS. “Ver a adesão ao projeto nos deixa muito feliz”, destacou, conceituando o Sonho de América como um expressivo campo de estágio já que, a partir das consultas que são feitas pelos alunos, com acompanhamento do professor Dix-Sept, o futuro médico vai se acostumando com a realidade que enfrentará ao entrar no mercado de trabalho.

A alegria pelo sucesso do projeto não está apenas na saúde do corpo. “Cuidamos da saúde do corpo e da alma dessas crianças”, diz o já quase médico Ronaldo Lima. Estudante do 12º período, ao lado do preceptor da Residência Médica Multiprofissional, Reinaldo Nascimento, ele se veste de palhaço e distribui balas e gracejos. Os dois executam o projeto “Captação de Crianças com CED – Crescimento e Desenvolvimento Infantil”, da colega Ana Carolina, do 10º período de Medicina. A futura cirurgiã toráxica percebeu que a figura do palhaço era um forte atrativo para as crianças e mães buscarem o atendimento.

Egresso – Formado pela UERN, o médico Rudá Morais não escondia a emoção em estar no plantão como profissional, dividindo assistência com o ex-professor Dix-sept Rosado Sobrinho. “Como médico residente, vejo a importância desse projeto. Ele atende uma demanda reprimida”, exalta, completando que viveu a experiência dos estudantes que estão no projeto como um dos participantes do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde – PET SAÚDE.

O “Sonho de América” já diagnosticou inúmeros casos de catarata e outras deformidades congênitas. Os pacientes são encaminhados para tratamento oftalmológicos.

sonho-de-america-2

 

“Desce aí, um cachorro quente”

O médico Dix-Sept Rosado tem muitas histórias de superação e cura de doenças, nestes últimos cinco anos de projeto. Mas também tem fatos pitorescos na longa trajetória até concretizar o sonho.

Uma das curiosidades diz respeito ao trailer para o atendimento. O projeto nasceu com o objetivo de chegar à zona rural e havia necessidade de um consultório móvel. Um dia, passando em uma das ruas de Natal, doutor Dix-sept viu um trailer à venda amarrado a um poste. Era a oportunidade que esperava.

Ele comprou o carro-reboque, improvisou o consultório e saiu zona rural à dentro. Vez por outra, alguns alunos gritavam: “Solta aí, um cachorro quente”, brincavam, comparando o consultório rural a uma lanchonete móvel.

O velho e providencial trailer durou mais de 4 anos. Há pouco mais de um ano, por meio da Fundação Vingt-Un Rosado, o projeto conseguiu outro com o SESI. As condições de atendimento melhoraram bastante, mas não é por falta de espaço que os moradores do campo deixaram de ser atendidos. Teve consultas dentro de casebres e até debaixo de uma sombra de uma árvore. O importante é que o sonho de América está fazendo a população ver mais longe.

Fundação Vingt-un Rosado participa da Feira do Livro 2016

Fundação Vingt-un Rosado participa da Feira do Livro 2016

IMG_9468

Aconteceu no Expocenter entre os dias 17 e 21 de agosto a 12a. Feira do Livro de Mossoró. A feira contou com 40 expositores e foram lançados 45 livros de autores potiguares, além de obras de escritores convidados, contou ainda com a participação de diversas caravanas de cidades vizinhas além do público local.

Na sexta-feira, 19 de agosto, o presidente da Fundação Vingt-un Rosado, Dr. Dix-sept Rosado Sobrinho, participou de mesa de debate sobre a obra de Deífilo Gurgel, onde falou sobre “Deífilo na Coleção Mossoroense”. Participaram do debate o professor Carlos Newton Junior da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) abordou o tema “O Romanceiro e o Folclore”; Graça Cavalcanti da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que analisou “A Pesquisa de João-Redondo em Deífilo”; o poeta e jornalista Cid Augusto analisou “A Poesia na Obra de Deífilo”.

A Feira do Livro deu destaque para o “Seminário Deífilo Gurgel: cidadão do país de Mossoró” numa homenagem aos 90 anos de idade do poeta e folclorista.

IMG_9466

IMG_9472

IMG_9460

Integração Cultural Interestadual homenageia Fundação Vingt-un Rosado

Integração Cultural Interestadual homenageia Fundação Vingt-un Rosado

Aconteceu entre os dias 15 e 18 de junho nas cidades de Fortaleza (CE) e Mossoró (RN), O evento “Integração Cultural Interestadual”, com ações voltadas para a integração e o intercâmbio entre os amantes da Literatura, das Artes e da Cultura.

O evento proporcionou meios para o intercâmbio do Nordeste com o Brasil e mundo. Além da divulgação dos participantes de forma livre e sem fronteiras. Levou os organizadores a criarem os projetos: Coletânea Literária Integração Cultural Interestadual e o Catálogo de Artes IntegrArte.

Artista plástica do Rio de Janeiro, Maria Araújo,  doa quadro "País é Mossoró", de sua autoria, à Fundação Vingt-un Rosado
Artista plástica do Rio de Janeiro, Maria Araújo, doa quadro “País é Mossoró”, de sua autoria, à Fundação Vingt-un Rosado

Foram paucos dos eventos a Academia Cearense de Letras (ACL), e o Auditório da Estação das Artes Eliseu Ventania receberá as atividades de Mossoró.

Em Fortaleza, a Mesa Diretora foi presidida pelo Dr. José Augusto Bezerra – Presidente da Academia Cearense de Letras, que proferirá também palestra.

Além das palestras, aconteceram várias atividades culturais, como a apresentação da Banda de Música do Corpo de Bombeiro da Polícia Militar do Ceará, performances artísticas e musicais, recital, roda poética e o lançamento das Antologias: Coletânea Integração Cultural Interestadual (feita especialmente para o evento), Coletânea Sem Fronteiras pelo Mundo… (Bilíngue Português – Inglês), na versão em Braille, Antologia Madalena’s em Prosa e Verso (Bilíngue Português – Francês) e Antologia Madre Terra (Bilíngue Português-Italiano). E, ainda, doações de livros para a Biblioteca da Academia de Letras e Artes do Ceará (ALACE), coquetel, almoço e jantar para integração social com trocas de livros, plaquetas, cordéis, jornais, revistas, CDs, DVDs, etc.

WhatsApp-Image-20160618 (2)

Em Mossoró, a programação começou com o Roteiro Turístico do Cangaço.

A recepção foi do Acadêmico Dr. Milton Marques de Medeiros, que presidiu os trabalhos. Os pronunciamentos foram feitos por Elder Heronildes da Silva – Presidente da Academia Mossoroense de Letras (AMOL), e por Diógenes da Cunha Lima – Presidente da Academia Norteriograndense de Letras (ANL).

Se apresentaram na oportunidade o Coral da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais (ACJUS), apresentando a “Canção para Mossoró”, performance teatral, houve ainda, lançamentos das antologias literárias e catálogo artístico, Exposição de Artes Plásticas, conferências, rodada poética, doação de livros para a Biblioteca Ney Pontes Duarte, troca de livros, plaquetas, CDs, jornais, revistas, etc. Além da apresentação do Projeto da Ascrim (Lançamento da Plaqueta para produção do filme sobre o Cangaço) e doação de tela para a Fundação Vingt-un Rosado.

Na parte social, houve visita à Salina São Camilo de Lélis e Museu do Sertão. Na Praça de Eventos, teve apresentação de Quadrilhas de Festa Junina, apresentação artística teatral “Chuva de Bala no País de Mossoró” e visita à “Cidadela”, para comemoração do aniversário da Editora Geral do Jornal Sem Fronteiras, Dyandreia Portugal.

WhatsApp-Image-20160619 (3)

WhatsApp-Image-20160619 (2)

WhatsApp-Image-20160619 (1)

WhatsApp-Image-20160618 (1)

 

Mossoró 18 de junho de 2016

Mossoró 18 de junho de 2016

Mossoró estende seus braços entre duas
Capitais de grande porte: Fortaleza e Natal.
Nas belezas desta terra com vistas nuas
Jorra petróleo, o ouro preto, o seu aval.

Uma das principais cidades nordestinas
Tem crescimento econômico favorável
O BIP se orgulha e abre as cortinas
Nesta cidade de encanto adminirável.

Terra do sal, onde a força do mar gigante
Estende suas águas beijando o solo
E nas salinas o olhar estonteante
Fita na alvura da natureza o consolo.

Na terra de Santa Luzia padroeira
Venceu o imperador Diocleciano pela fé
Celebrada no dia treze de dezembro
A lenda atravessa fronteiras, fica de pé.

Capital Cultural perpetua sua história
Na cidade junina agraciando os turistas
Um dos maiores eventos traz a memória
Atos de liberdade de pessoas altruístas:

O Motim das Mulheres à liberdade militar
Abolição dos escravos, antes da Lei Áurea
O primeiro voto feminino a mulher enaltece
Com Lampião a resistência, luta e prece.

O povo mossoroense oferta ao visitante
Na Estação das Artes, diversão e alegria,
Nos 48 mil metros quadrados gigantes
Show, quadrilhas, comidas típicas abundantes.

Parabéns aos mossoroenses, vida e união.
Com a Chuva de Bala lembrando Lampião.

Sonia Nogueira