Homenagem ao professor Vingt-un Rosado

22008430_1686264621383898_1817179330032931562_nMossoró comemorou ontem o aniversário de nascimento do intelectual professor Vingt-un Rosado, com uma grande homenagem. Ele que foi um dos grandes intelectuais da história do Rio Grande do Norte e patrono da fundação mantenedora da Coleção Mossoroense, teve uma merecida homenagem. O evento foi realizado no teatro Municipal Dix-huit Rosado. O seu início aconteceu às 19h, com o lançamento do livro “O Criador do País de Mossoró – Uma biografia de Vingt-un”, do autor Geraldo Maia do Nascimento. A obra contém mais de 300 páginas e foi lançada com o selo da Coleção Cultura Potiguar, em parceria com a Coleção Mossoroense, série C, volume 1671.

Logo após, foi feito um esquete marcando “Um dia de Vingt-un”, encenado pelo ator Carlos José no papel principal e os atores coadjuvantes, Dennis Xaxá e Allyson Maxuel, como ajudantes de Vingt-un. O esquete teve a direção de Plínio Sá, numa brilhante apresentação para engrandecer ainda mais este ato público.

21764795_1685090121501348_2451195794681876487_n

21766490_1597055040356782_3153688216888512246_nAinda na mesma noite, o jornalista e escritor Vicente Serejo, de Natal, realizou a palestra “Vingt-un: uma militância Editorial”. O convidado falou sobre uma das ações mais contundentes de Vingt-un: a Coleção Mossoroense, que atualmente está sendo cuidada pela equipe da Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte.

Além deste momento, está marcado para hoje, vários momentos que lembrarão os feitos e causos que envolveram o homenageado. Haverá também debates com a participação de escritores, pesquisadores, intelectuais, representantes de instituições, amigos e familiares de Vingt-un, todos ressaltando a importância do 21 para a cultura potiguar.

O seminário está sendo promovido pelo Governo do Estado (Fundação José Augusto, na pessoa de Isaura Amélia) pela Fundação Vingt-un Rosado, na pessoa de Dix-sept Rosado Sobrinho, e pela Prefeitura Municipal de Mossoró (Secretaria Municipal de Cultura, na pessoa de Eduardo Falcão).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *