Fundação Vingt-un Rosado entrará em recesso no mês de janeiro

Fundação Vingt-un Rosado entrará em recesso no mês de janeiro

10013705_564129887037976_3300770527898295495_n

A Fundação Vingt-un Rosado, com sede na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, vem de público comunicar a todos os leitores em geral, que o atendimento no mês de janeiro estará suspenso devido período de recesso. Mas o serviço de organização não para. Continuaremos com uma equipe trabalhando para organização do nosso acervo. O retorno para atendimento na sede retorna dia 05/02/2018. Caso alguém tenha interesse em algum título ou para qualquer esclarecimentos, entrar em contato pelo número 98886 0520 ou pelo e-mail fvrcm@uol.com.br

|

Companheira de Vingt-un faleceu na mesma data do falecimento dele

Companheira de Vingt-un faleceu na mesma data do falecimento dele

AMERICA

Companheira até depois da morte, a professora América Fernandes Rosado Maia, esposa de Vingt-un Rosado faleceu 4 anos após a morte do seu amigo e companheiro de tantas horas (02/12/2009). O próprio professor Vingt-un apaixonado, costumava dizer que “descobriu a América em Minas Gerais” fazendo referência a sua esposa, dona América Rosado, sua companheira por 58 anos.

Do enlace matrimonial acontecido dia 25 de setembro de 1947, em São Paulo, nasceram os filhos: Maria Lúcia Fernandes Rosado do Amaral, Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, Lúcia Helena Rosado da Escóssia, Isaura Ester Fernandes Rosado Rolim e Leila Rosado de Medeiros.

Depois da perda de Vingt-un, América passou por momentos de tristeza imensa. Ela mesma contava que o segredo da sua alegria de tão longa convivência estava no tratamento carinhoso, afetivo e ao amor que existia entre ela e Vingt-un. Ainda informa que se sentia completa com ele, pois tinham ideais e valores semelhantes.

Uma das provas do sacrifício mútuo, um dos sonhos do casal era conhecer a Europa e realizar algumas viagens. Mas dona América informou que “não foi possível realizar em face da dedicação máxima de Vingt-un a sua obra cultural”. Dona América ainda completava dizendo que, a luta de Vingt-un, também era a sua luta.

América Foi uma das idealizadoras da Fundação Vingt-un Rosado no dia 06 de abril de 1995, exatamente quando a Coleção passava por uma dificuldade imensa para manter-se.

Sua paixão, além das ações pelo marido, nas suas palavras quando dizia: “Se todos seguissem o exemplo de Vingt-un teríamos um mundo muito melhor, um mundo diferente”.

O mundo ficou mais vazio sem estas duas importantes personalidades culturais. Para alguns,coincidência,mas nos Exatos quatro anos depois da morte de Vingt-un, em 21 de dezembro de 2009, morria dona América Fernandes Rosado Maia. Foi como se tivesse escolhido o dia 21 de dezembro para a sua morte. Seu corpo foi sepultado em Mossoró, a terra que tanto amou.

 

 

Triste aniversário de morte de Vingt-un Rosado

Triste aniversário de morte de Vingt-un Rosado

vingt-un

Hoje está completando 12 anos que Mossoró perdeu Vingt-un Rosado.  “Um cidadão mossoroense, reconhecido no Brasil, e conhecido em várias partes do mundo”, assim dizia Dix-sept Rosado Sobrinho, seu filho, hoje responsável pela Fundação que homenageia seu pai.

Vingt-un Rosado atuou em diversas frentes de trabalho, sempre com maestria, mas foi como criador da Coleção Mossoroense, a maior coleção de livros do País, com mais de quatro mil títulos publicados, que ele teve maior destaque.

Nesta mesma Coleção, ele publicou diversos títulos, sendo inclusive, seu primeiro livro publicado, uma homenagem a sua cidade, Mossoró.

Ele morreu na tarde do dia 21 de dezembro de 2005, vítima de parada cardíaca. Ele mesmo foi submetido a quatro pontes de safena, mas nada que pudesse solucionar a sua cardiopatia, que era crônica. O historiador faleceu com 85 anos, após sucessivas paradas cardíacas e um quadro cardíaco instável.

Durante o período que esteve no hospital com problemas cardíacos, o seu coração não esqueceu a sua paixão: trabalhou até os últimos momentos de consciência. E até no internamento ainda se preocupava com a Fundação Vingt-un Rosado. Do hospital, Vingt-un dedicou-se aos projetos da Fundação, recebendo assessores e auxiliares nos poucos momentos diários de visitas.

O corpo de Vingt-un foi trazido de Natal para Mossoró e foi velado no prédio central da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), antiga Escola Superior de Agricultura de Mossoró (ESAM), instituição que foi fundada por ele.

O mais recente livro publicado pela Coleção Mossoroense foi o volume 1671. O livro é uma homenagem ao professor Vingt-un Rosado feita pelo historiador Geraldo Maia do Nascimento. “O Criador do País de Mossoró – Uma biografia de Vingt-un Rosado”, foi o título da obra. O lançamento aconteceu no dia 25 de setembro (dia do natalício do homenageado) deste ano.

A realidade é que cultura sem ele está caminhando sem brilho. Ele deixou Mossoró órfã de sua sabedoria, além de projetos na área cultural. Sem a presença dele, o esforço está sendo imenso para dar continuidade a Fundação que leva o seu nome. Tudo ficou mais difícil. Porém, apesar de todos os problemas,  a Coleção Mossoroense está sendo reorganizada e será catalogado para melhor atender a sociedade. Haverá também um trabalho de conservação da biblioteca particular dele e a criação de um memorial em sua homenagem.   Atualmente, a sede da Fundação Vingt-un Rosado está localizada na Biblioteca Pública Municipal Ney Pontes Duarte, local que tem influência de Vingt-un da sua criação no ano de 1948.

Sua partida provocou muitas incertezas no cenário intelectual do Rio Grande do Norte. A bem da verdade, Mossoró perdeu o seu filho ilustre. E esta perda, até hoje, é irreparável.

Antes de falecer, Vingt-un publicou uma plaquete (série B – volume 2706) intitulada “Normas Acadêmicas para o velório e sepultamento de Vingt-un”. Trechos do livreto informa o desejo dele: “…O sepultamento será no cemitério novo e não haverá túmulo. Serei coberto pela terra do solo sagrado de Mossoró. Neste solo serão plantadas cactáceas e bromeliáceas, tal como fiz quando da fundação da ESAM na antiga fazenda de Fuão Pinto…” E assim foi feito…

 

Clauder Arcanjo vence eleição e será o novo imortal da Academia Norteriograndense de Letras

Clauder Arcanjo vence eleição e será o novo imortal da Academia Norteriograndense de Letras

maxresdefault

Foi escolhido no último dia 14 para ocupar a cadeira de número 12 à Academia Norte-Riograndense de Letras (ANL), o engenheiro, professor, contista, poeta, cronista, resenhista literário e editor da Sarau das Letras, Antonio Clauder Alves Arcanjo, ou simplesmente, Clauder Arcanjo, como é mais conhecido.

Quando chefe do escritório da Petrobrás CE/RN, Clauder Arcanjo assinou o primeiro convênio da Fundação Vingt-un Rosado batizado pelo seu patrono de Rota Batida.

O convênio permitiu que a Fundação Vingt-un Rosado comprasse equipamentos para a gráfica e fizesse a publicação de vários números da Coleção Mossoroense. Hoje considerado o maior movimento editorial do Brasil.

Na eleição, Clauder obteve 19 votos e concorreu com o escritor Antonio Fernando Bezerra que contou com 15 votos.  A cadeira 12 era do médico e escritor Paulo Bezerra (conhecido como Paulo Balá), falecido recentemente em decorrência de complicações de um câncer. A posse do novo membro da ANL ocorrerá no início do próximo ano.

Ao novo membro da ANL, a Fundação deseja felicidades e acredita que a Academia ganhou um grande nome para o seu quadro de imortal.

Fundação Vingt-un Rosado atende pedido à distância

Fundação Vingt-un Rosado atende pedido à distância

25395577_1272080599602685_149849158_nA equipe da Fundação Vingt-un Rosado vem trabalhando muito para organizar e disponibilizar os livros para toda sociedade. Esta semana recebemos um telefonema de Brasília solicitando o título: “Famílias Azevedo, Dantas, Medeiros e Rocha no Rio Grande do Norte”, de Aluízio Azevedo. O processo de busca demorou 2 dias e o envio foi feito logo após a confirmação de compra e confirmação de pagamento.

A satisfação de atender é demostrada nos agradecimentos. Segundo o solicitante, “Agradeço pelo atendimento eficiente e cordial que você prestou. Parabenizo a Fundação Vingt-un Rosado pelo serviço que presta na conservação da memória local. É de grande valor. Muito obrigado e feliz Natal e um 2018 cheio de graças…”

Ao senhor Ênio Felipe da Rocha um grande abraço. É uma honra está atendendo mais um cliente e agradecido pela confiança e aquisição de um título do maior movimento editorial do Brasil que é a Coleção Mossoroense. A participação de cada um é muito importante para que possamos trabalhar ain25437218_1272113489599396_2038131936_nda mais com afinco.

Aos que desejarem algum título, entrem contato conosco pelo telefone 84 98886 0520, pelo site http://colecaomossoroense.org.br ou ainda pelo Facebook  https://www.facebook.com/Funda%C3%A7%C3%A3o-Vingt-un-Rosado-236176583396534/

 

 

Autora de livro editado pela Coleção Mossoroense é homenageada

Autora de livro editado pela Coleção Mossoroense é homenageada

EAM7487-e1512754384846A Fundação Vingt-un parabeniza a comunidade acadêmica da Ufersa pelos seus 50 anos de existência. Para festejar, durante as comemorações, foi realizada, na Exporcenter, uma Assembleia Universitária para a entrega de comendas e honrarias. Este neste ano, a professora Celicina Borges Azevedo recebeu a Medalha Professor Jerônimo Vingt-un Rosado Maia pelos longos serviços prestados a cultura e cidade de Mossoró.

O professor e chefe de gabinete Felipe Ribeiro fez a apresentação da homenageada Celicina Azevedo, sendo posteriormente, entregue a medalha pela prefeita Rosalba Ciarline e pelo reitor Arimat25181913_1541582935918821_107832089_nea Matos. Celicina discursou em nome de todos, fazendo deferência ao profissionalismo e dedicação com que a comunidade acadêmica desenvolve suas atividades em prol do desenvolvimento do Semiárido.

Celicina Borges Azevedo é professora aposentada e autora do livro “Metodologia Científica ao Alcance de Todos”, editado pela Coleção Mossoroense em 2008. Ela esteve à frente da Fundação Guimarães Duque quando esta era mantenedora da Coleção Mossoroense.25181698_1541506462593135_2049043333_n (1) 25276706_1541507149259733_1180633714_n 25323259_1541506835926431_1850136885_n

Morre um dos contribuintes dOs Mutirões a favor da Coleção Mossoroense

Morre um dos contribuintes dOs Mutirões a favor da Coleção Mossoroense

Tasso-Rosado-na-Câmara

Faleceu na tarde de ontem o empresário e ex-senador da República, Jerônimo Tasso de Góis Rosado. Tasso Rosado estava internado, devido problemas de saúde, no Hospital Sírio Libanês, na cidade de São Paulo. Ele era sobrinho de Vingt-un Rosado, patrono da fundação mantenedora da Coleção Mossoroense e e deixou viúva Elizenir Jales Rosado, com quem teve os filhos Andréia, Frediano e Gregório Rosado.

Tasso participava dOs Mutirões a favor da Coleção Mossoroense, projeto que ajudava manter, com doações, a Coleção Mossoroense.  Ele estava internado desde o início de novembro, quando sofreu complicações no coração e não resistiu, vindo a falecer.

A família mossoroense enlutada presta homenagens e a Fundação Mossoroense deseja conforto para toda família.

Fundação Vingt-un Rosado / Coleção Mossoroense é destaque em TV local

Fundação Vingt-un Rosado / Coleção Mossoroense é destaque em TV local

25105662_1268772806600131_1611458959_n

 

A Fundação Mossoroense / Coleção Mossoroense foi destaque na Tv Cabo Mossoró (TCM), no Jornal TCM da última quarta-feira, dia 06 de dezembro. A reportagem mostrou o trabalho que está sendo executado em todo o acervo e as providências que estão sendo tomadas para que a Coleção Mossoroense volte a atender plenamente a sociedade.

Assiste ao vídeo abaixo: